quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Bólido sobre a Catalunha (Espanha)

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Gigantesca bola de fogo cruza cidades da Região Sudeste do Brasil

Uma gigantesca bola de fogo rasgou o céu de diversas cidades brasileiras na noite de segunda-feira, produzindo um forte clarão observado desde São Paulo até Minas Gerais. De acordo com a BRAMON, este é um dos maiores bólidos já registrados pelas câmeras de vigilância da instituição.



A rocha entrou na atmosfera terrestre por volta das 19h07 BRT e cruzou parte da Região Sudeste do país vinda provavelmente do sul-sudeste no sentido Norte-Noroeste.

Em diversas cidades houve relatos da bola de fogo, inclusive na capital paulista. Testemunhas disseram que durante o tempo de observação a luz o objeto parecia variar do amarelo no início da trajetória ao branco-azulado nos momentos finais. Nenhum relato, no entanto, confirma a ocorrência de algum estrondo sônico.

Segundo a internauta Adnaloy Andrade, de Pouso Alegre, cidade localizada no sul de MG, a bola de fogo era tão grande e brilhante que chegou a pensar que ia cair sobre sua cabeça. Para Adnaloy, foi assustador e lindo ao mesmo tempo.


Monitoramento
De acordo com informações prestadas pela Rede Brasileira de Observação de Meteoros, BRAMON, este é um dos maiores bólidos já registrados pelas câmeras de vigilância da entidade. Segundo a BRAMON, três câmeras registraram o momento da ruptura, duas delas instaladas em Campinas, SP, e outra em Mogi das Cruzes, SP.

Uma análise inicial feita por Carlos Apodman Bella, ligado à BRAMON, mostra que a altitude final antes da fragmentação ficou abaixo de 38km , considerada bastante baixa para um meteoro.

A triangulação das imagens permitiu aos especialistas da BRAMON traçarem um shape aproximado da orbita do meteoro, revelando que antes de se chocar contra a alta atmosfera da Terra a rocha orbitava para além do planeta Marte, o que significa que pode ser um dos inúmeros fragmentos pertencentes ao Cinturão de Asteroides.

BRAMON
A BRAMON é uma iniciativa do astrônomo amador Eduardo Plácido Santiago, que em outubro de 2013 iniciou o projeto de uma rede de monitoramento de meteoros. Menos de um ano depois, a BRAMON é hoje referência em sua área de atuação.

Com cerca de 16 câmeras ativas, a entidade vem obtendo um ótimo índice de registros de eventos de grande porte como este e a taxa de captura de bólidos tem sido de um por mês, o que supera largamente as expectativas iniciais.

Até final do ano as previsões apontam a implantação de mais 5 câmeras em todo território nacional, realizando uma cobertura sem precedentes dos eventos magníficos que eram subestimados nos céus brasileiros.

Se você tem interesse em participar da BRAMON e também quer montar uma estação de vigilância dos céus, entre em contato com a BRAMON através do email: bramon@bramon.com.br.
----
E mais:
Câmeras de observatório registram a passagem de meteoro por Campinas (G1 - com vídeo e imagem)
.
Registro de meteoro com tamanho de limão surpreende astrônomo: 'É raro' (G1 - com vídeo)

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Campaña Seccion Materia Interplanetaria Meteoros y Bólidos - LIADA - Setembro 2014

(LIADA - em espanhol) Septiembre tiene una serie de radiantes de meteoros algo irregulares pero en conjunto muy activos.

ALFA AURÍGIDAS
Lluvia de meteoros en la constelación Auriga o Cochero, es visible entre el 25 de agosto y el 5 de septiembre, su actividad llega hasta los 10 meteoros por hora, aunque en ocasiones como en 1935 y 1986, se registraron hasta 40 meteoros por hora, este enjambre de meteoroides produjo un estallido en su actividad a partir del 2007, bajando considerablemente los siguientes años. Son meteoros muy rápidos con estelas persistentes que resultan espectaculares. Su cometa progenitor es el Kiess C/1911 N1.
Kiess es un misterioso cometa de periodos orbitales largos que visitó el Sistema Solar interno solo dos veces en los últimos dos mil años. En el año 83 antes de nuestra era, el cometa Kiess pasó cerca del Sol y dejó una estela de polvorientos escombros que se han desplazado hacia la órbita de la Tierra desde entonces.

El máximo está pronosticado para el 1 de septiembre, aunque la actividad se prolonga hasta el 5. Los observadores del hemisferio norte tienen mejores condiciones de observación por la posición de la constelación en esas latitudes.

A continuación la carta estelar donde se muestra la zona de la radiante de las Alfa Aurígidas (AUR) y las constelaciones con sus abreviaciones:


PISCIDAS NORTE Y SUR
En la región de Piscis son visibles meteoros lentos durante todo el mes, que provienen de dos ramas activas: Piscidas norte y sur. Estudios realizados mediante radio en ambas regiones han permitido obtener unas órbitas dispersas que dan muestra de una corriente muy irregular. En ocasiones se pueden observar bólidos (meteoros muy brillantes) provenientes de esta zona del cielo. Vale la pena observar esta zona cualquier noche despejada del mes de septiembre barriendo visualmente el mayor tiempo posible la constelación Piscis. En especial la noche del 25 de septiembre ya que se disponen datos que la radiante Pisicidas del sur es muy activa esa fecha.

KAPPA ACUÁRIDAS:
Del 8 al 30 de septiembre en la constelación Acuario siendo su máxima actividad el 21 de septiembre, una lluvia de meteoros de escasa actividad con pocos datos, por lo que valdrá la pena realizar observaciones para obtener mayores elementos de esta lluvia menor.

A continuación la posición de las radiantes Kappa Acuáridas (KAQ) y Píscidas Sur (SPI)



Cualquier consulta estamos a su disposición.

Desde la Coordinación de la Sección deseamos tengan todos excelentes cielos, esperamos sus reportes.


Pável Balderas E. pavelba@hotmail.com Tarija-Bolivia
Coordinador General
Sección Materia Interplanetaria
LIADA

Dr. Josep M. Trigo trigo@ieec.uab.es Barcelona-España
Co-coordinador
Sección Materia Interplanetaria
LIADA

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Vídeo acelerado mostra chuva de meteoros no interior de São Paulo

Fenômeno foi registrado na última semana, em Campinas. Menor interferência de luzes urbanas oferece melhor visibilidade.


(G1) As chuvas de meteoros que ficaram visíveis no Hemisfério Sul na última semana foram registradas em um vídeo de "time-lapse" (com imagens aceleradas) feito no Observatório Municipal de Campinas, no interior de São Paulo.

Segundo o astrônomo Julio Lobo, numa noite foram visíveis quatro chuvas, que ganham nome de acordo com a constelação sobre a qual aparecem no céu (neste caso, chamavam-se Piscis australidas, Delta Aquaridas do Sul, Capricornidas e Alfa-Capricornidas). De acordo com Lobo, não se tratam de fenômenos raros, mas as condições de visibilidade eram boas quando as imagens foram feitas, na madrugada do dia 31 de julho. O vídeo foi produzido por Roberto Kumamoto e Wellington Almeida, da TV Globo.
----
Matéria com vídeo aqui

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Meteoro é registrado em Campos e especialista busca local da queda

De acordo com Marcelo, o fenômeno aconteceu às 17h54 de sexta-feira (1º de agosto) e durou três segundos



(Terceira Via) Uma câmara do Clube de Astronomia Louis Cruls, instalada no observatório do Instituto Federal Fluminense (IFF), em Guarus, registrou um meteoro na tarde de sexta-feira (1º de agosto), em Campos. O físico e professor do clube, Marcelo Souza, disse que não foi possível identificar em qual local caiu o meteorito e espera por um relato de alguém que tenha visto.

De acordo com Marcelo, o fenômeno aconteceu às 17h54 e durou três segundos. Este é o segundo caso só neste ano. O primeiro ocorreu no dia 11 de junho, na véspera da abertura da Copa do Mundo, por volta de 12h.

Marcelo relatou que muitos moradores do Parque Aurora, Guarus, Alberto Lamego, e de outros bairros, viram o meteoro na sexta-feira (1º) e que, provavelmente, o fenômeno teria caído em direção ao Noroeste Fluminense.

“Na lente, tinha uma construção na frente de onde ocorreu a queda do meteorito, por isso não deu para ver exatamente o local, mas é bem provável que tenha sido em direção ao Noroeste. Nós estamos esperando relatos de pessoas que tenham visto para podermos investigar melhor este fato”, disse.

Moradores que tenham visto ou registrado o fenômeno, podem entrar em contato com o Clube de Astronomia pelo email clubedeastronomia@gmail.com.